A última chance 

Culto do Amigo | Pr Luiz Carlos Cruz 

Raabe (Js 2.9-18)

       E disse-lhes: Bem sei que o Senhor vos deu esta terra, e que o pavor de vós caiu sobre nós, e que todos os moradores da terra se derretem diante de vós. Porque temos ouvido que o Senhor secou as águas do Mar Vermelho diante de vós, quando saístes do Egito, e também o que fizestes aos dois reis dos amorreus, Siom e Ogue, que estavam além de Jordão, os quais destruístes totalmente. Quando ouvimos isso, derreteram-se os nossos corações, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença; porque o Senhor vosso Deus é Deus em cima no céu e embaixo na terra. Agora pois, peço-vos, jurai-me pelo Senhor que, como usei de bondade para convosco, vós também usareis de bondade para com a casa e meu pai; e dai-me um sinal seguro de que conservareis em vida meu pai e minha mãe, como também meus irmãos e minhas irmãs, com todos os que lhes pertencem, e de que livrareis da morte as nossas vidas. Então eles lhe responderam: A nossa vida responderá pela vossa, se não denunciardes este nosso negócio; e, quando o Senhor nos entregar esta terra, usaremos para contigo de bondade e de fidelidade. Ela então os fez descer por uma corda pela janela, porquanto a sua casa estava sobre o muro da cidade, de sorte que morava sobre o muro; e disse-lhes: Ide-vos ao monte, para que não vos encontrem os perseguidores, e escondei-vos lá três dias, até que eles voltem; depois podereis tomar o vosso caminho. Disseram-lhe os homens: Nós seremos inocentes no tocante a este juramento que nos fizeste jurar. Eis que, quando nós entrarmos na terra, atarás este cordão de fio de escarlata à janela pela qual nos fizeste descer; e recolherás em casa contigo teu pai, tua mãe, teus irmãos e toda a família de teu pai.

       Vemos que Raabe, não desperdiçou a oportunidade, quando percebeu que aquela seria sua última chance. Ela havia ouvido falar do poder, do grande Deus de Israel e da maneira com que Seu povo destruíra os seus adversários. Por isso, não teve dúvidas em ajudar os espias, protegê-los, e fazer uma aliança de salvação tanto para ela como para sua família. Ela não desperdiçou sua última chance

Sansão (Jz 16.27-30)

       Ora, a casa estava cheia de homens e mulheres; e também ali estavam todos os chefes dos filisteus, e sobre o telhado havia cerca de três mil homens e mulheres, que estavam vendo Sansão brincar. Então Sansão clamou ao Senhor, e disse: Ó Senhor Deus! lembra-te de mim, e fortalece-me agora só esta vez, ó Deus, para que duma só vez me vingue dos filisteus pelos meus dois olhos. Abraçou-se, pois, Sansão com as duas colunas do meio, em que se sustinha a casa, arrimando-se numa com a mão direita, e na outra com a esquerda, E bradando: Morra eu com os filisteus! inclinou-se com toda a sua força, e a casa caiu sobre os chefes e sobre todo o povo que nela havia. Assim foram mais os que matou ao morrer, do que os que matara em vida.

       Sansão foi o homem que tinha tudo para ser o maior sucesso entre seu povo. Durante 20 anos, ele julgou sobre Israel. Foi o juiz protetor de seu povo. Sua força era inigualável. Certo dia ele matou um leão rasgando-o pela boca com suas próprias mãos; matou trinta filisteus com seus próprios braços, e com uma queixada de jumento, feriu e matou mil homens de uma só vez. Até se envolver com Dalila, uma mulher da corte filisteia; prostituta de elite. Ela o seduziu, e ele se rendeu aos seus caprichos. Quando ele caiu em si, Sansão já estava preso e eles furaram os seus olhos. Sansão dizia; certamente escaparei como das outras vezes, porém Deus não estava mais com ele. Quando Deus chega na vida de alguém, Ele faz barulho, tem festas e alegrias, porém, quando Ele sai, o silêncio incomparável. Quando se deitava com Dalila, ele se deitava com demônios e não com ela. Por que eles diziam: Dagom nos entregou Sansão em nossas mãos. Tempos depois, mesmo amarrado e trabalhando como um animal na masmorra, Sansão começa a perceber que ainda haverá um última chance. Ao ser levado para diversão daquele povo, Sansão ora a Deus dizendo: Senhor pela última vez me devolve a força.

O ladrão na Cruz  (Lc 23.39-42)

       Então um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava dele, dizendo: Não és tu o Cristo? salva-te a ti mesmo e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça; porque recebemos o que os nossos feitos merecem; mas este nenhum mal fez. Então disse: Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.

       Dois homens estão diante de sua última chance. Um ladrão a esquerda e outro a direita de Jesus na Cruz. O da esquerda só queria, o milagre, e dizia: Se Tu és mesmo o Filho de Deus; desce dai e salva-te a Ti mesmo e a nós também. Porém, o da direita, não perdeu a última chance. Ele sabia que não tinha mais tempo, não dava para se batizar, nem participar da ceia, tampouco cultuar a Deus, e Servir a Ele. Tudo que lhe restou foi dizer: lembra te de mim quando entrares em teu Reino.  Jesus ouviu o pedido daquele homem assim como pode ouviu o seu também.                                      Por isso, Não desperdice sua última chance!!!! 

Gabarito para Célula

Clique no icone para baixar

2017 © Igreja Multi Vida | Todos os direitos reservados 

Igreja Multi Vida | Projeto Imaginar

Rua Dr. Marcos Ávila, 105 Residencial Caetano | S.J. Rio Preto  SP

Email: IgrejaFormosaCaetano@gmail.com

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey YouTube Icon